Paranatinga, 23 de Novembro de 2020

Agronegócios

AGRICULTURA FAMILIAR

Mulheres representam 80% dos fornecedores de produtos para o Programa de Aquisição de Alimentos

Publicado 18/11/2020 15:17:39


 

 

DO PORTAL DO AGRONEGÓCIO

A agricultora familiar Marcia Aparecida de Souza nasceu e cresceu em família de agricultores. Na idade adulta, foi morar na cidade para estudar, onde fez mestrado em agronegócio. Hoje, ela mora no núcleo Rural Buriti Vermelho, no Paranoá (DF), e é gestora da Cooperativa Cooper-Horti com 33 cooperados, sendo 30 homens. Ela produz 4 hectares no Distrito Federal e 15 hectares no estado de Goiás, com a plantação de hortaliças, como alfaces e tomates. 

 

“Nós, mulheres, estamos sempre quebrando barreiras. Eu vejo as mulheres mais como gestoras das propriedades. A agricultura ainda é um ambiente dominado pelos homens, mas a participação das mulheres é crescente e isso se confirma a cada dia”, destaca Marcia. 

 

A agricultora é um exemplo do crescimento da participação feminina na agricultura familiar. A presença feminina nas modalidades do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) alcançou 4.701 mulheres em 2019, o que representa 80% de participação, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

 

Os dados fazem parte da publicação Agricultura Familiar: Programa de Aquisição de Alimentos - PAA: Resultados das Ações da Conab em 2019. Segundo Marisson de Melo Marinho, superintendente de suporte à agricultura familiar da Conab, a participação da mulher tem aumentado ao longo dos anos. 

A partir de 2016, critérios mais claros favoreceram cooperativas e associações da agricultura familiar administradas e com

participação de mulheres. Essas ações permitiram que, em 2019, o número de mulheres no PAA chegasse a 80%, maior percentual de mulheres participantes”, afirmou. Ele acrescenta que é “um recorde que fortalece a participação das mulheres no PAA, o programa que capacita agricultoras familiares e suas organizações para acessar o mercado”, comentou Marinho. 

 

O incentivo à maior inclusão feminina no PAA começou a fazer parte das políticas públicas voltadas ao pequeno agricultor a partir de 2011, quando foi instituído como um dos critérios de priorização na seleção e execução do programa a participação mínima de 40% de mulheres como beneficiárias fornecedoras na modalidade de Compra com Doação Simultânea (CDS) e 30% na de Formação de Estoque (CPR-Estoque). 

 

“Esta participação revela que a capacidade produtiva das organizações compostas por mulheres tem se fortalecido e minimizado os problemas de comercialização de seus produtos, além de valorizar a mão de obra feminina e de garantir sua autonomia econômica. Ressalta-se ainda que o fortalecimento do trabalho das mulheres no campo implica também a consolidação da segurança alimentar de suas famílias”, aponta o estudo.

 

 

Publicidade Áudio

Enquete

Na sua opinião qual investimento é mais urgente para Paranatinga

CONCLUIR HOSPITAL MUNICIPAL

ASFALTAR BAIRROS

MELHORAR ILUMINAÇÃO

SINALIZAÇÃO DE TRANSITO E RUAS

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE