Paranatinga, 22 de Maio de 2018

Agronegócios

Do turismo a tecnologia: tudo o que você precisa saber para investir com crédito de até R$ 200 mil do governo

ECONOMIA | 08/02/2018 17:29:38


Frente aos desafios impostos pelo mercado e ainda sob efeitos da recessão, empresários de Mato Grosso têm lutado contra estatísticas para emplacar projetos e ampliar investimentos. A Capital reflete algumas destas dificuldades e ocupa a quinta colocação no ranking nacional das piores para empreender, de acordo com levantamento anual da Endeavor. O cenário, contudo, não limita a iniciativa de empreendedores Estado afora. Com o suporte de bons projetos, suas ideias podem obter financiamentos de R$50 mil a R$ 200 mil oferecidos pelo Governo e contribuir para um incremento nos números de emprego e renda.

 

É neste contexto que a Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso S/A, a Desenvolve – MT desempenha seu papel. A Sociedade Anônima de Economia Mista, de capital fechado é responsável pela execução da política estadual de investimentos, atuando na mediação de crédito para o empresariado, do pequeno ao grande. Só para o segmento do turismo há 5,5 milhões disponíveis. O Fundo de Desenvolvimento da Indústria e do Comércio (Fundeic), por sua vez, conta com R$ 3 milhões em carteira, além de mais R$ 9 milhões que são aguardados.

 

Assim, para evitar que a dúvida e a falta de acesso impeça o crescimento nas adesões, é preciso, sobretudo, informação. Para facilitar os planos de quem pretende investir, o Agro Olhar elencou então tudo que é preciso saber para chegar a uma das linhas de crédito da Desenvolve-MT, desde quais segmentos são contemplados, até o limite de empréstimos e documentos necessários.

Os principais pontos destas transações foram comentados pelo diretor presidente da Agência, José Adolpho de Lima e a diretora de desenvolvimento e crédito, Anne Cristine Antunes Siqueira. Confira:

 

Hoje quais são as linhas de crédito oferecidas pelo Governo?

As linhas contemplam o agronegócio, a agricultura familiar e microempreendedores no geral. A Inova Cred, por exemplo, conta com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), próprios para investimentos inovadores. Neste caso, é preciso criar um processo, um produto ou investimentos nesta área, desde que seja algo inovador. O projeto então passa por um comitê, coordenado por  cientistas da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que avaliam se a proposta se trata ou não inovação.

Há ainda o BNDES, que permite acessar quase todas as linhas de crédito. De acordo com Adolpho, há uma dificuldade momentânea do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), porque o Banco do Brasil limitou os valores com os quais  a Desenvolve MT pode operar – na linha do FCO, pós Emenda Constitucional 081/2017. “Já estamos trabalhando fortemente procurando nos adequar à exigências para voltar a operar com capacidade máxima e conseguir mais recursos.”

 

Como o empreendedor tem acesso aos financiamentos?

O primeiro passo é procurar a unidade da Desenvolve MT em Cuiabá ou nos Centro de Atendimento do Empresarial. Depois, segundo Anne, é só o fazer o cadastro da empresa e do sócio, informar a proposta de crédito com o valor pretendido, além do prazo, carência e descrição do projeto.

“Fizemos uma experiência há pouco tempo fantástica com alguns pequenos produtores que plantam arroz. Eram nove produtores e criamos o aval solidário. Eu sozinho não conseguia avalizar o meu empreendimento. Porém, os nove – um avalizou para o outro. Eles, em conjunto, garantem  o empréstimo total. É uma inovação que a gente consegue fazer”, diz Adolpho.

Ele diz que a Agência buscou junto ao Sebrae  o Fundo de Aval, que é justamente o Fundo Garantidor. “Vamos atender justamente para o micro e pequeno que não consegue comprovar a sua renda, que apesar de ter capacidade de pagamento.Temos regras para seguir ditadas pelo Banco Central, então temos que fazer algumas exigências. Então, o  Fundo de Aval vai garantir esse empréstimo para o micro e pequeno empreendedor. Conseguimos conceder o crédito, mesmo que ele não consiga demonstrar a quantidade de renda necessária, para ter acesso ao crédito.”

 

Como funciona o Fundo de Desenvolvimento da Indústria e do Comércio (Fundeic) em Mato Grosso?

O Fundeic também  está disponível com limite de crédito de R$ 50 mil para garantir o acesso do pequeno e do micro. A perspectiva para este ano é alavancar pelo menos mais R$ 9 milhões, para somar aos R$ 3 milhões já em carteira. “Antes tinha limitação de R$ 700 mil e o governo Pedro Taques reduziu para R$ 50 mil.”

 

Como a Desenvolve MT avalia os financiamentos concedidos para as cadeias produtivas de Mato Grosso?

Tanto para o presidente quanto para a diretora de crédito, o impacto desses empréstimos é gigantesco na economia do Estado, mesmo não se tratando de recursos vultosos. Isso porque é possível aplicar de forma a manter cadeias produtivas e não somente de formas individuais, o que causaria impacto seria pequeno. Logo, o fomento das atividades comerciais, industriais e de prestação de serviço, possibilita que empreendedores se formalizem para melhorar a sua estrutura física na geração de emprego e renda.

 

Em quanto tempo esses créditos podem ser obtidos?

Anne explica que a demora é relativa, já que depende da complexidade do projeto e da área requerida, por exemplo. "Só depois de reunirmos isso é que daremos a celeridade da análise do crédito", diz. 

 

Fonte: Agro Olhar

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE