Paranatinga, 25 de Abril de 2019

Agronegócios

AGROPRODUÇÃO/GRÃOS

Conab e IBGE baixam projeções para grãos

Publicado 18/03/2019 14:38:35


REPRODUÇÃO

 

 

do PORTAL DO AGRONEGÓCIO 

A falta de chuvas e o forte calor em importantes polos produtivos de soja do país nos últimos meses levaram a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a novamente reduzir suas estimativas para a produção de grãos do país nesta safra 2018/19, cuja colheita está em andamento.

 

Em decorrência dos reflexos das intempéries na produtividade das lavouras, a Conab passou a calcular a produção de soja em 113,5 milhões de toneladas, 1,8 milhão a menos que o previsto em fevereiro e volume 4,9% inferior ao do ciclo 2017/18. Sob essa influência, atenuada por um aumento na projeção para o milho, a previsão da estatal para a colheita total de grãos caiu para 233,3 milhões de toneladas, ainda 2,5% mais que em 2017/18 e segundo maior volume da história, perdendo apenas para o do ciclo 2016/17.

 

Em levantamento divulgado também ontem, o IBGE baixou sua estimativa para a produção de soja para 113,4 milhões de toneladas e diminuiu a projeção para a colheita total para 228,8 milhões. A Coordenação de Agropecuária do IBGE lembrou que as lavouras de soja mais prejudicadas foram as plantadas antecipadamente - paradoxalmente, quando o clima era favorável.

 

De acordo com a Conab, mesmo as variedades de soja que tinham potencial de recuperação, como as de ciclo médio, frustraram as expectativas dos agricultores diante da falta de chuvas. Em entrevista em Brasília, porém, o diretor de diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Guilherme Bastos, afirmou que ainda há uma possibilidade de que as plantações cultivadas com soja de ciclo tardio tenham se beneficiado com o regime de chuvas "um pouco mais regulares" do mês de fevereiro.

 

Para a produção de milho de verão, a estimativa da Conab também foi reduzida. A projeção para 2018/19 foi cortada em 240 mil toneladas, para 26,21 milhões. Mas a colheita de milho de inverno (safrinha), que está em fase de plantio, teve sua estimativa elevada em 2,1%, para 66,6 milhões de toneladas. Na comparação com a temporada 2017/18, que sofreu com o clima adverso, a nova projeção representa um expressivo aumento de 23,6%.

 

Outra cultura que teve as estimativas de produção cortadas por Conab e IBGE foi o arroz. Segundo a Conab, a colheita do cereal ficará em 10,6 milhões de toneladas, 11,8% menor que a do ciclo 2017/18. O IBGE foi na mesma linha - passou a projetar 10,5 milhões de toneladas - e ressaltou que a redução está concentrada no Rio Grande do Sul, Estado que lidera a colheita nacional.

 

"Nos últimos anos, em virtude dos preços pouco compensadores, têm-se verificado, no Rio Grande do Sul, redução da área plantada com arroz irrigado em função do aumento do plantio de soja. A rotação dessas culturas melhora o solo e favorece o rendimento médio de ambas", analisou o IBGE.

 

 

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE