Paranatinga, 15 de Outubro de 2018

Agronegócios

Bancada e prefeitos cobram ANTT por alteração de projeto para travessias urbanas na BR-163

LOGÍSTICA | 16/12/2017 14:07:44


Prefeitos da região Médio-Norte de Mato Grosso apresentaram à Agência Nacional de Transportes Terrestres um novo plano para a BR 163, entre o Posto Gil e Sinop, com foco nas travessias urbanas, ponto mais crítico para o escoamento da produção agrícola e também do transporte em geral, onde ocorrem mais acidentes. Reunidos em Brasília nesta semana, em audiência pública convocada pelo deputado federal Xuxu Dal Molin (PSC), os prefeitos cobraram alterações no projeto original já concedido.   
 
A discussão se ancora na Medida Provisória 800, que prevê uma reprogramação de investimento, conforme explica Luiz Antonio Garcia, que representou o Dnit no debate. Ele explica que toda rodovia deveria estar duplicada ao final do quinto ano da concessão, o que não aconteceu. “Foi uma audiência para debater a priorização dessas intervenções das travessias urbanas de Sinop, de Sorriso de Nova Mutum, de Lucas do Rio Verde, que são os lugares concentradores de trafego e que tem mais acidentes de trânsito, mas como é uma gestão da ANTT, o Dnit não tem nenhuma gestão”, explicou
 
Para a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), o município será prejudicado se a obra for concluída de acordo com um projeto que ela considera defasado. “Nós entregamos esse projeto, um estudo técnico para que a ANTT siga uma diretriz. Essa concessão foi feita estudando uma viabilidade para concessionária e para o governo e não foi pensado nas reais necessidades dos municípios. Então nós queremos mostrar para o governo a nossa necessidade para que não inviabilize os municípios, porque a partir do momento que a concessionária fizer como está no projeto, os municípios vão ser prejudicados com poucos acessos”, explicou em entrevista ao Olhar Direto.
 
“Somos uma região extremamente produtora, com uma capacidade gigante em todas as perspectivas, estamos crescendo em uma média de 10% ao ano e o estudo do governo é em torno de 2%, então nós estamos acima da média nacional, então o governo não pode nos igualar ao resto do Brasil, porque nós somos uma região do estado de Mato Grosso extremamente produtora, com crescimento muito acima, então esse olhar tem que ser diferenciado, porque quando foi feito os estudos era uma situação, hoje nós estamos em uma realidade totalmente diferente e com uma perspectiva muito maior, são estudos totalmente defasados”, completou.
 
Autor do requerimento da audiência pública, o deputado Xuxu Dal Molin, afirma que a intenção é corrigir um erro histórico. “Essa concessão na época foi orçada para atender interesses políticos de uma eleição. Agora nós queremos corrigir isso. Nós somos a favor de concessões e eu hoje como deputado federal, além desse trabalho pontual da questão da BR-163, nós estamos trabalhando junto ao governo federal uma questão de equilíbrio, entre o valor pago pelas concessões e a questão dos impostos”, apontou.
 
O prefeito de Lucas do Rio Verde, Luiz Binotti (PSD), foi a Brasília especialmente para o debate. “Pelo projeto que existia há muitos anos atrás, feito pelo Dnit e pela ANTT, esses foram os projetos que a concessionária recebeu e tem obrigação de fazer, mas hoje depois de vários anos, as cidades mudaram muito de patamar, por exemplo, Lucas do Rio Verde, foi contemplado com duas travessias, mas hoje precisamos de cinco travessias”, explica, sobre a defasagem.
 
“Reivindicamos à ANTT para que seja priorizado junto à concessionária as travessias urbanas, que é onde concentra-se ai 90% da população e hoje essas cidades têm vários problemas, mesmo as que já fizeram a duplicação”, afirmou Binotti. Segundo ele, a cidade sofre com acidentes na travessia urbana, principalmente nos horários de pico.

 

 

Fonte: Agro Olhar

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE