Paranatinga, 24 de Abril de 2019

Agronegócios

EXPORTAÇÃO

Após 19 meses, Rússia reabre mercado para carnes suínas e bovinas do Brasil

Publicado 04/12/2018 12:57:30


O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, anunciou que a Rússia reabriu seu mercado para as carnes suínas e bovinas produzidas no Brasil, após 19 meses desde a suspensão das importações em decorrência da “Operação Carne Fraca”. Maggi ainda afirmou que busca abrir novos mercados para o Brasil.
 
 
Até a Operação Carne Fraca a Rússia consumia 38% da carne suína de Mato Grosso. O país suspendeu as importações após a repercussão da operação, que investigou um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos, e também apontou problemas na qualidade das carnes produzidas em alguns frigoríficos brasileiros.

O ministro Blairo Maggi, em viagem a Dubais, recebeu a notícia de que a Rússia reabriu o mercado para o Brasil. Em um vídeo gravado ainda em Dubai ele divulgou a abertura.

“Acabo de receber uma notícia ótima, da Rússia, neste momento, já às 21h aqui em Dubai, estou aqui também para fazer uma missão de abertura de novos mercados, mas a gente foi interrompido aqui por esta notícia boa, desde dezembro nós esperávamos que a reabertura do mercado de carnes suínas e bovinas para a Rússia. Uma coisa muito desejada, muito esperada pelos produtores, suinocultores brasileiros principalmente”.

O ministro agradeceu ao presidente Michel Temer (MDB) pelo seu empenho pessoal, e também aos produtores, frigoríficos, ao seu time no Ministério da Agricultura, ao embaixador do Brasil na Rússia, Antônio Salgado e também a Adido Agricola Cosam Coutinho.

“É difícil abrir mercado, é fácil fechar mercado, é muito mais difícil reconquistar os mercados, então estamos todos muito felizes hoje pela reabertura deste mercado”.



Carne Fraca
 
A primeira fase da Operação Carne Fraca, lançada em março de 2017, investigou o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Cinquenta e nove pessoas viraram rés.
 
A operação causou um impacto financeiro de R$ 363 milhões nas contas da BRF de 2017. Houve gastos e despesas extras com mídia e advogados, além de frete, armazenagem e perdas com devoluções de produtos.

Fonte: Agro Olhar

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE